Early Call - 16/11/2021

Early Call - 16/11/2021

Segunda-feira, 16 de Novembro de 2021

Para Ficar Atento

Nos EUA, são importantes os dados relativos às vendas no varejo de outubro (10h30), sendo que os economistas antecipam um aumento de 1,1%, após um aumento de 0,7% em setembro.

No Brasil, teremos o índice de Atividade Econômica - IBC-Br (9h) e o Boletim Focus, enquanto o mercado continua à espera de uma solução para o Auxílio Brasil.

Principal fundo de índice (ETF) brasileiro na bolsa de NY, o EWZ fechou com recuo marginal de 0,10% nesta 2ªF de feriado da República no Brasil.

Mercados ontem:

Câmbio:

Dólar sobe antes do feriado, mas acumula queda de 1,2% na semana com alívio após PEC passar na Câmara. Após duas quedas fortes do dólar, o mercado retomou a trajetória de compra da moeda nesta 6ªF, com investidores buscando proteção antes do feriado prolongado no Brasil.

Ações Brasil:  

Por aqui, o dia foi negativo para a bolsa, com investidores adotando cautela antes do feriado, analisando os balanços do 3TRI e absorvendo o dado fraco de atividade de serviços. O volume financeiro somou 31,7 bilhões de reais.

USA:

Depois de duas sessões em baixa, pressionadas pela inflação acima do esperado nos EUA, as bolsas em NY retomaram a trajetória positiva nesta 6ªF, embaladas pelo avanço das ações de techs e empresas de comunicação. Ontem, com feriado no Brasil, as Bolsas em NY fecharam na estabilidade.

Notícias Corporativas

Embraer (EMBR3)

A Embraer anunciou a venda de três novos jatos E175 para a Overland Airways, da Nigéria, no valor de US$ 299,4 milhões, com direitos de compra para outras três aeronaves do mesmo modelo. A notícia foi bem recebida por investidores, com alta firme de 3,58% dos papéis da Embraer negociados na bolsa de Nova York.

A Embraer projeta uma demanda global de 10.900 aeronaves de até 150 assentos nos próximos 20 anos, o equivalente a um mercado de US$ 650 bilhões (R$ 3,5 tri). Do total de unidades previstas, 8.640 são jatos e 2.260, turboélices. Os números fazem parte do seu relatório de perspectivas de mercado para entregas de aeronaves comerciais até 2040 e foi divulgado pela companhia durante o Dubai Air Show.

De acordo com a Embraer, os efeitos da pandemia global impactaram a recuperação do tráfego global, de modo que a receita por passageiro por quilômetro (RPK, na sigla em inglês) só voltará aos níveis de 2019, que são anteriores aos da crise sanitária, em 2024. A previsão da empresa é um crescimento médio de 3,3% ao ano para o RPK ao ano até 2040.

image

A expectativa é que a América Latina e a Ásia-Pacífico tenham um avanço acima da média, de 4,2%. Em seguida, a expansão será puxada por África (3,8%), Oriente Médio (3,6%), Comunidade dos Países Independentes - ex-países soviéticos (3,5%), Europa (2,3%) e América do Norte (2%). Ainda que a América Latina esteja na ponta do crescimento, a concentração do RPK ficará na região da Ásia-Pacífico (41%) e do eixo Europa-América do Norte (36%).

Em seu relatório, a Embraer também traçou três tendências consideradas estratégicas para a nova dinâmica do setor aéreo. A primeira é que as companhias irão adquirir frotas com maior eficiência de combustível. A segunda é a digitalização, com avanços na tecnologia, incluindo home office e videoconferência, alternando a demanda por voos. O terceiro aspecto é a tendência de regionalização das atividades, para concentrar a produção e minimizar eventuais interrupções da cadeia de fornecimento.

Para a versão completa da Perspectiva de Mercado de 2021, incluindo análises e sinopses regionais para cada uma das sete regiões do mundo, visite www.embraermarketoutlook2021.com.

image

Fonte: Suno notícias, Infomoney e Investing.com

image