Early Call - 18/11/2021

Early Call - 18/11/2021

Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

Para Ficar Atento

Nos EUA, investidores acompanham a divulgação de dados de emprego, com investidores preocupados com a possibilidade de aumentos antecipados das taxas de juros pelo Federal Reserve, o banco central norte-americano, frente à inflação persistente. No Brasil, a piora nas perspectivas econômicas pelo ministério da Economia nesta quarta-feira deve seguir fazendo peso no pregão de hoje. A situação da PEC dos Precatórios no Senado, que parece não avançar, também deve seguir impondo cautela aos investidores.

Mercados ontem:

Câmbio:

O dólar avançou nesta 4ªF com a piora nas perspectivas para a aprovação PEC dos precatórios no Senado. O governo estaria disposto a aceitar mudanças da proposta, o que forçaria a PEC a retornar à Câmara e dificilmente a proposta sairia do papel neste ano.

image

Ações Brasil:  

O Ibovespa fechou em queda na menor pontuação desde 12/11/2020. O movimento negativo no mercado doméstico refletiu a preocupação dos investidores com as possíveis resistências e mudanças no texto da PEC dos Precatórios no Senado, pesando também o cenário de juro alto e de economia mais fraca no próximo ano. O volume foi de R$ 48,9 bilhões, inflado pelo vencimento de opções sobre o índice.

image

USA:

Os sinais negativos imperaram também em Wall Street. Em NY, as perdas foram puxadas pelas ações de petroleiras, acompanhando a queda do petróleo, e pelo setor imobiliário, seguindo a taxa de construções de moradias iniciadas nos EUA que ficou abaixo do esperado.

image

Notícias Corporativas

Localiza (RENT3)

A companhia de aluguel de veículos, Localiza, lucrou de forma líquida R$ 671,4 milhões no terceiro trimestre de 2021, um avanço de 106,3% na comparação com o mesmo período de 2020, quando faturou R$ 325,5 milhões.

Em documento publicado a companhia explica como o feito se deu, em grande parte, por conta do momento atípico em que o cenário automobilístico se encontra, com uma “demanda maior que a oferta”, com a reabertura econômica pós-covid e pela falta de novos veículos para venda. “Continuamos vivendo em um contexto de limitação no suprimento de carros, ocasionada pela insuficiência no fornecimento de insumos na cadeia global (especialmente semicondutores). Esse cenário impactou novamente as compras no trimestre e ainda deve perdurar, com perspectiva de normalização apenas a partir do segundo semestre do próximo ano”, aponta a Localiza. Este cenário, apesar da queda da receita – que ficou em R$ 2,7 bilhões, número 9,6% menor do que os R$ 3,06 bilhões registrados entre julho e setembro de 2020 – maximizou as margens da companhia: o Ebitda, avançou 83,1%, saindo de R$ 648,1 milhões para R$ 1,18 bilhão.

image

A diferença na margem do lucro operacional (margem Ebitda), que saltou de 63,3% para 80,9%, se deu pelo avanço da participação do aluguel de carros na receita da Localiza. Esse braço, mais lucrativo, viu sua receita crescer 43,3%, para R$ 1,4 bilhão, minimizando a queda de 36,1% da receita proveniente da venda de seminovos. “O número de diárias da divisão de aluguel de carros apresentou crescimento de 11,0% em relação ao 3T20, a partir da retomada consistente da demanda com o avanço da vacinação contra a Covid-19. A taxa de utilização da frota avança, ultrapassando a marca de 80%. A diária média foi de R$92, crescimento de 37,8% na comparação anual, refletindo aumento nos preços dos carros”, explicou a locadora de veículos. Com poucos carros a venda por conta da escassez de semicondutores, mais pessoas estão procurando o aluguel, e a empresa deixou de vender – e também de comprar – tanto seminovos. A frota em 2021 está, atualmente, em 273,2 mil carros, queda de 1,7% na base anual. Por fim, o balanço da Localiza é impactado pelas despesas financeiras, que ficaram em R$ 96,8 milhões, número 77,6% maior do que no terceiro trimestre de 2020, e pelo imposto de renda, que chegou a R$ 117 milhões. A locadora fechou setembro com uma dívida líquida de R$ 6,6 bilhões, ante R$ 6,1 bilhões no fim de 2020.

Fonte: Suno notícias, Infomoney e Investing.com